Quase 20 mortos e 15 feridos em navio iraniano atingido por fogo amigo

O navio foi impactado depois de mover um alvo de treino e não se afastar o suficiente, de acordo com a mídia do Irã. Imagens de treino da marinha iraniana no Oceano Índico em 2018
Exército iraniano/Via AFP
O exército do Irã informou, nesta segunda-feira (11), que 19 pessoas morreram em um acidente, no qual um navio de guerra foi alvo de fogo amigo durante exercícios navais no Golfo de Omã.
Irã tem aumento de mortes e infectados pelo coronavírus
“No domingo à tarde, durante um exercício de navios da marinha, o navio de apoio leve Konarak teve um acidente”, disse o portal do exército em um comunicado.
Avião que caiu no Irã teria sido derrubado acidentalmente por míssil iraniano
“O navio foi impactado depois de mover um alvo de treino e não se afastar o suficiente”, completou a mesma fonte.
“O número de mártires deste acidente chega a 19 e há 15 feridos”, acrescentou a nota.
O navio foi rebocado para o porto para realizar uma investigação técnica, conforme a nota, na qual as autoridades pedem que se “evitem especulações” até que mais informações estejam disponíveis.
De acordo com a televisão estatal iraniana e com a agência de notícias Tasnim, o Konarak foi atingido por um míssil lançado por outra embarcação iraniana.
O navio foi atingido por “fogo amigo” depois de a fragata Jamaran ter disparado mísseis acidentalmente durante um exercício militar na área de Jask nas águas do Golfo Pérsico, segundo a Tasnim.
O Konarak é um navio de apoio logístico leve fabricado na Holanda e comprado pelo Irã pouco antes da Revolução Islâmica de 1979.
O navio pesava 447 toneladas, media 47 metros de comprimento e estava equipado com quatro mísseis de cruzeiro, descreveu a televisão estatal.
Os 15 marinheiros feridos foram hospitalizados no Sistão e no Baluchistão, afirmou o diretor da Universidade de Medicina da província, Mohammad-Mehran Aminifard.
Dois deles se encontram em tratamento intensivo, disse a agência semioficial Isna.
Não se sabe quantos tripulantes estavam a bordo do navio no momento do acidente.
Tensão com os EUA
Em janeiro passado, as Forças Armadas iranianas derrubaram, por engano, um jato comercial Boeing 737 com destino a Kiev, logo após sua decolagem de Teerã, matando seus 176 ocupantes.
Os militares iranianos admitiram seu erro catastrófico, alegando que as defesas antiaéreas do país estavam em alerta máximo após o lançamento de uma bateria de mísseis contra as tropas americanas estacionadas no Iraque.
O Irã lançou esses mísseis em represália pelo assassinato, cometido dias antes pelos Estados Unidos, do general iraniano Qassem Soleimani. O militar foi morto perto do aeroporto de Bagdá por bombardeios de drones.
Irã e EUA tiveram vários incidentes recentes e constantemente trocam ameaças entre suas forças estacionadas nas sensíveis águas do Golfo.
O último episódio foi em 15 de abril, quando Washington denunciou que embarcações iranianas “assediaram” seus navios nessas águas.


Fonte/Referência: G1

Matéria Incompleta? Link da Matéria Completa