Com emprego e escola, projeto mantém família estabilizada


Laudiana Silva Sobral e a filha Jamine, de 6 anos, atendidas pelo Projeto Nova Canaã
Divulgação/ Projeto Nova Canaã
A família de Laudiana Silva Sobral, de 37 anos, recebe uma ajuda tripla do <a href="http://www.projetonovacanaa.com.br/" target="_blank" rel="noopener noreferrer">Projeto Nova Canaã</a>, que vem em boa hora especialmente durante o isolamento social provocado pela pandemia de covid-19.


Seu marido, Josemir Alcides de Vasconcelos, de 40 anos, trabalha de carteira assinada em uma das instituições mantidas pelo Projeto, que atua no sertão nordestino para acolher famílias em situação de vulnerabilidade social.


Além disso, as duas filhas do casal, Laís, de 12 anos, e Jamine, de 6, frequentam a escola mantida pela Nova Canaã. Já faz 8 anos que a família é atendida pelo Projeto.


<a href="https://noticias.r7.com/educacao/fotos/veja-como-o-projeto-nova-canaa-ajuda-criancas-carentes-no-sertao-da-bahia-09062014#!/foto/1" target="_blank" rel="noopener noreferrer">Veja como o Projeto Nova Canaã auxilia crianças e famílias carentes</a>


Com o adicional do Bolsa-Família e o auxílio oferecido pelo governo federal para amenizar a crise provocada pelo coronavírus, eles têm conseguido manter a casa própria abastecida e as meninas com acesso a educação e alimentação.


"O Canaã para mim representa tudo. Primeiramente, porque acolhe minhas filhas e onde eu consigo ver um futuro pra elas. Eu concluí o ensino médio, mas quando terminei, cadê a oportunidade de trabalhar? Queria fazer algum curso, mas meus pais não tinham condição de ajudar", explica Laudiana.


<strong>Trabalho na roça</strong>


A agricultora trabalha na roça, ajudando a colher milho e feijão. Mas, com a pandemia, a renda principal vem do marido e dos auxílios governamentais, pois as crianças não podem frequentar a escola neste momento de isolamento social e ela precisa cuidar delas.


"Antes da Canaã, minha vida era muito difícil, difícil mesmo. Meu marido trabalhava no plantio de tomate. Ele saía de casa às 4 horas da manhã e às vezes dava meia-noite e ele ainda não tinha chegado", conta Laudiana.


Como o marido trabalhava na plantação, sem carteira assinada, ele chegava a fazer turnos de 18 a 20 horas por dia no plantio de tomate e cenoura. "O dinheiro que recebia não dava nem para uma feira. Passei três anos sendo ajudada pelas minhas irmãs. Depois que ele passou a trabalhar no Projeto, as coisas começaram a mudar pra nós, melhorou", resume Laudiana.



        <div class="media_box full-dimensions660x360">
Laudiana e a filha Jamine são gratas ao Projeto, pois têm acesso a educação e alimentação

Laudiana e a filha Jamine são gratas ao Projeto, pois têm acesso a educação e alimentação
Divulgação/ Projeto Nova Canaã
<strong>Apoio para toda a família</strong>


Agora, o apoio prestado pelo Projeto Nova Canaã ajuda a manter a família de pé e estabilizada. "Se o Projeto acabasse, mudaria bastante a minha vida. Primeiro, porque meu marido trabalha lá e ia ficar desempregado. E minhas filhas estudam no Projeto e a gente não tem condição de pagar uma escola", acredita Laudiane.


Além de prestar auxílio às famílias em situação de vulnerabilidade, como a de Laudiana, no início deste mês o Projeto Nova Canaã lançou a ação <a href="http://sosfamiliasdosertao.org/" target="_blank" rel="noopener noreferrer">SOS Famílias do Sertão</a>. A campanha pretende estender a ajuda social promovida para famílias do sertão nordestino, especialmente aquelas que estão passando por dificuldades por conta da crise causada pela covid-19.
A meta da campanha é ajudar mais de 500 famílias carentes. <a href="https://novacanaa.colabore.org/sosfamiliasdosertao/people/new" target="_blank" rel="noopener noreferrer">Clique aqui para fazer sua doação.</a>

Fonte/Referência: R7

Matéria Incompleta? Link da Matéria Completa