Metrô de Nova York fecha para limpeza e dá abrigo aos sem-teto


Paralisação do metrô permitiu que 139 pessoas sem teto se abrigassem nos vagões

Paralisação do metrô permitiu que 139 pessoas sem teto se abrigassem nos vagões

Justin Lane / EFE – EPA – 6.5.2020
O metrô de Nova York, que habitualmente oferece um serviço ininterrupto 24 horas por dia, fechou pela primeira vez na noite de terça-feira (5), para uma desinfecção profunda de todos os seus vagões, com o objetivo de evitar eventuais contaminações pelo <strong><a href="https://noticias.r7.com/saude/novo-coronavirus" target="_blank" rel="noopener noreferrer">coronavírus</a></strong>, o que também permitiu que as autoridades acolhessem 139 moradores de rua.


<strong>Leia também: <a href="http://noticias.r7.com/internacional/trump-diz-que-pandemia-e-pior-que-pearl-harbor-e-11-de-setembro-06052020" target="_blank" rel="noopener noreferrer">Trump diz que pandemia é pior que Pearl Harbor e 11 de Setembro</a></strong>


No último dia 30-de abril, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou que a partir de terça o metrô ficará fechado diariamente durante quatro horas.


Entre 1 e 5 da manhã, os funcionários se esforçaram para limpar os pisos, paredes, barras, portas, janelas e assentos de cada vagão, para que os trabalhadores essenciais, os únicos a quem se recomenda usar o transporte público neste momento, possam viajar tranquilos até seus trabalhos.

  <div class="media_box embed intertitle_box">

<div class="content">Medidas inéditas</div>
<span class="author"></span>
Nesta quarta-feira (6), o prefeito da cidade, Bill de Blasio, aplaudiu o trabalho dos funcionários de serviços sociais e da polícia e disse que "nunca tinha visto tanto sucesso em uma só noite" no tratamento dado à população de sem-teto, por ter conseguido que uma "alta porcentagem" deles aceitassem o abrigo.

<div class="related_content">
Veja também