Justiça determina que mulher com coronavírus que foi à festa e ao trabalho cumpra determinações médicas

Médica veterinária de 33 anos atendeu em clínicas de Foz do Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu mesmo após a confirmação da doença. Ministério Público havia pedido prisão domiciliar. Justiça condena três pessoas por irregularidades em contratos para transporte de pacientes
Reprodução/RPC
A Justiça aceitou o pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) e determinou que a mulher com Covid-19 em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, cumpra rigorosamente o período de isolamento determinado por um médico.
Nesta segunda-feira (23), o MP-PR pediu à Justiça a prisão domiciliar ou alguma medida restritiva para a paciente, de 33 anos, que teve o primeiro teste para o coronavírus na cidade confirmado.
De acordo com o promotor Luís Marcelo Mafra, a paciente, que é médica veterinária, trabalhou em Foz do Iguaçu e em Santa Terezinha de Itaipu, também no oeste, mesmo sabendo que estava com a suspeita da doença. Além disso, ela participou de uma festa com cerca de 200 pessoas durante o período que deveria estar em quarentena.
O promotor disse ainda que a festa em que a mulher participou ocorreu no dia 14 de março.
Na decisão judicial, a mulher deverá suspender a atividade profissional, está proibida de frequentar locais públicos ou privado e não pode ter contato pessoal com qualquer outra pessoa.
O caso
O primeiro caso do novo coronavírus em Foz do Iguaçu foi confirmado no dia 18 de março, segundo a Sesa.
A paciente, que está sendo investigada pelo MP-PR, tinha viajado para o Reino Unido em fevereiro, começou a sentir os sintomas no início de março e retornou para Foz do Iguaçu, onde mora.
Conforme a secretaria, quando o caso tinha sido confirmado, o quadro clínico da mulher foi considerado leve.
Veja mais notícias da região no G1 Oeste e Sudoeste.


Fonte/Referência: G1

Matéria Incompleta? Link da Matéria Completa